Economia Em Uma Única Lição de Henry Hazlitt-Cap. 6

O capítulo seis do livro “Economia em uma única lição” de Henry Hazlitt, intitulado “O Crédito Desvia a Produção”, aborda os efeitos do crédito e da expansão monetária na economia.

Henry Hazlitt começa o capítulo explicando que o crédito é uma ferramenta útil para a economia, pois permite que as pessoas invistam em negócios e projetos que, de outra forma, não poderiam financiar. No entanto, ele argumenta que o crédito tem um lado negativo que muitas vezes é ignorado: ele pode desviar a produção de bens e serviços para atividades que não seriam viáveis ​​sem a expansão do crédito.

De acordo com Hazlitt, quando o crédito é facilmente disponível e barato, as pessoas tendem a usá-lo para investir em projetos que não são rentáveis ​​ou que não teriam investidores se não houvesse a expansão do crédito. Esses projetos muitas vezes são de natureza especulativa ou estão relacionados a setores que não têm demanda real.

O resultado é que a expansão do crédito pode desviar recursos produtivos para atividades que não criam valor real ou que não atendem às necessidades e desejos dos consumidores. Isso pode levar a uma alocação ineficiente de recursos e a uma queda na produção de bens e serviços que as pessoas realmente desejam.

Henry Hazlitt também argumenta que a expansão do crédito pode levar a um aumento nos preços dos bens e serviços, especialmente dos ativos financeiros, como ações e imóveis. Isso ocorre porque a expansão do crédito aumenta a quantidade de dinheiro disponível na economia, o que pode levar a uma inflação de preços. Essa inflação de preços pode criar uma falsa sensação de prosperidade e levar as pessoas a tomar decisões econômicas equivocadas.

Por fim, Hazlitt argumenta que a expansão do crédito pode levar a uma crise financeira, quando as pessoas e as empresas não conseguem mais pagar suas dívidas. Quando isso acontece, as instituições financeiras podem entrar em colapso e a economia pode entrar em recessão.

Henry Hazlitt esclarece:

“Acontece, porém, que o governo não pode conceder auxílio financeiro a empresas sem que, antes ou depois, o tire. Todos os fundos do governo advêm de impostos. mesmo o muito alardeado “crédito do governo” apoia-se na suposição de que os empréstimos serão finalmente liquidados com o produto líquido dos impostos. Quando o governo concede empréstimos ou subsídios às empresas, o que ele faz é tributar as empresas privadas bem sucedidas, a fim de amparar as mal sucedidas. Sob certas circunstâncias de emergência, poderá haver para isso argumentos plausíveis, cujos méritos não precisamos discutir aqui. mas, a longo prazo, isso não se afigura como proposição compensadora, encarada do ponto de vista do país como um todo. E a experiência tem demonstrado que não é”

Em resumo, o capítulo seis de “Economia em uma única lição” de Henry Hazlitt mostra que o crédito pode desviar a produção de bens e serviços para atividades que não são rentáveis ​​ou que não atendem às necessidades e desejos dos consumidores. A expansão do crédito também pode levar a um aumento nos preços e a uma crise financeira. Como tal, Hazlitt acredita que o crédito deve ser usado com cuidado e parcimônia, a fim de evitar esses efeitos negativos na economia.

O livro está à venda na Amazon:

https://amzn.to/40tpuZs

Postagens Relacionadas

  • 1
  • 2